Resenha Filme: Donnie Darko


"Donald Darko" (Jake Gyllenhall) é um adolescente esquizofrênico que é entupido de remédios pela sua psiquiatra de araque que logo o diagnostica como um paciente psicótico e "vítima de ilusões diurnas", e no início realmente acreditamos que Donnie tem uns parafusos a menos. Contudo, Donnie ao longo do filme se mostra como um personagem muito mais complexo do que aparenta.

Vou tentar, mas vai ser difícil não soltar algum spoiler.

A viagem no tempo é o ponto principal de "Donnie Darko", entendemos isso a partir do momento do acidente que uma turbina de avião caiu no quarto de Donnie o matando e dando o ponto de partida da aparição do coelho esquisito de 1m80 chamado Frank. A partir daí o coelho além de lhe dar ordens como causar o caos na sua cidade, diz ao rapaz para sair de casa pois o mundo vai acabar dentro de 28 dias, seis horas, 42 minutos e 12 segundos, ou seja, na noite de Halloween, a 30 de outubro de 1988.

Entre as milhares de coisas que "Donnie Darko" deixa abertas a interpretação, seja justamente a aparição desse coelho. A sua personificação pode ser calcada em metáforas de vida sublimada dos anos 80 sejam uma delas até os remédios que Donnie toma para sua esquizofrenia, entretanto, como disse, a viagem no tempo é o foco. E sobre isso um filme que "Donnie Darko" claramente nos remete é "Efeito Borboleta", lá o personagem Evan Trebor (Ashton Kutcher) é também um rapaz esquizofrênico que viaja no tempo voltando-se a sua consciência. Então uma pergunta que o filme levanta é: seria a "segunda chance dada por Frank seria viagem no tempo de Donnie voltando-se à sua consciência para consertar certos erros da sua vida?".

Uma explicação que pude encontrar é da linha temporal. Em nenhum momento o filme deixa claro o que Donnie fez ou deixou de fazer, mas a sua segunda chance que o coelho Frank lhe dá incitando-o a realizar atos de vandalismo, é para dar uma chance não só de sacudir a cidade e a sua vida, mas até a encontrar o amor (Gretchen). E porque ele o mata? Não fica muito claro isso.

A verdade é que "Donnie Darko" é um filme sutil e até espiritual, algo mostrado no pôster pela cor azul. Essa cor é relacionada ao irreal e ao onírico, em outras palavras, somos transportados para o mundo de Donnie, o mundo que ele criou para escapar de sua própria dor e solidão. O filme fala da luta de cada um de nós para vencermos nossos próprios demônios, em viver o desejo dentro de cada um de nós de alterar o passado e de corrigir os erros que você teve com cada um que amou.

E porque um coelho estúpido? Bom, a figura do coelho Frank lembra diretamente ao coelhinho psicótico da história de Lewis Carroll, "Alice No País das Maravilhas", em que nada mais é deixado ali o claro o desejo da fuga da realidade. "Donnie Darko" em seu final nada óbvio que critica a suposta predestinação, talvez mostre aonde a toca do simpático coelho viciado em café vai.

Eu sei, eu sei, tentar explicar "Donnie Darko" é uma tarefa quase impossível, afinal, ele é um filme aberto a interpretações, e para diferentes pessoas é necessário que elas vejam ou 3 vezes ou cerca de 39 vezes para entender a bagunça com mais clareza.

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários