A reinvenção genial da caneta

A reinvenção genial da caneta
Concordamos de que uma caneta serve só pra escrever, sem contar bater na mesa e morder a tampa da caneta. Saiba que existe a Polar Pen justamente para renovar essa ideia.

Utilizando de pequenos imãs, a Polar Pen se monta e se reinventa em seus pedaços com diversas pontas e ganha, além de estilo, funções que fariam a gente não tirá-la do bolso.

Preciso dessa caneta!

Como Os Simpsons soltam a voz em outros países

Como Os Simpsons soltam a voz em outros países
Quando uma série de sucesso é comprada por uma grande rede de televisão aberta, o que poderia ser motivo de comemoração, pois cada vez Globos e Records da vida vem percebendo o sucesso que essas séries americanas fazem arrebatando um público cada vez maior, por outro lado é motivo de terror, já que as dublagens são geralmente questionáveis com a insistência que as emissoras tem de traduzir os títulos das séries. 

Se você fica aterrorizado pela série Breaking Bad ter sido ganhado o nome tosco de "A Química do Mal", saiba que já foi bem pior. Por exemplo a série coxinha Barrados no Baile que fez bastante sucesso na Globo nos anos 90, originalmente se chamava Beverly Hills 90210. Nada a ver né? 

Entretanto, como brasileiro, sei que o fato mais marcante do povo brasileiros é reclamar. Sendo assim, com bom senso, vale a tentativa de parar e pensar um pouco em vez de usar o senso comum de manada. Realmente as dublagens brasileiras tem seus defeitos como em qualquer lugar, mas não estão faltando estúdios com ótima qualidade. É só ver a série Two and a Half Men. No SBT ela ganhou o nome de "Dois Homens e Meio", uma tradução sóbria, e ganhou também uma dublagem ótima que faz gente como eu assistir a série tanto dublada como legendada, e rir tanto quanto em uma e em outra. 

Se tratando dos Simpsons a dublagem da série estão tão enraizada na nossa mente como a dublagem utilizada no Chaves, e imagino que você já quis saber como ela funciona em outros países.


É só impressão minha, ou mesmo com a atual voz retardada do Homer, ainda sim nossa dublagem é a mais parecida?

Via Xpock

O melhor do Porta dos Fundos

O melhor do Porta dos Fundos
Atualmente o grupo Porta dos Fundos formado por, entre outros, Fabio Porchat, Antônio Tabet, Gregório Duvivier, Clarice Falcão, Marcos Veras, é o canal mais acessado do YouTube atualmente e a esquete de humor de maior sucesso que vimos. Polêmico, inteligente e sem moralismo barato, o humor deles sai chutando bundas de praticamente tudo que vemos por aí. Em outras palavras, é o que a internet é capaz de oferecer!

Esses dias, dentre tantos vídeos, tava fazendo uma pequena "limpa" lá no canal deles e resolvi fazer um post selecionando um pouquinho do melhor que vi por lá.

Tem sugestões? Diga nos comentários!







Veja prodígio da bateria tocando Painkiller na íntegra!

Veja prodígio da bateria tocando Painkiller na íntegra!
Avery Molek é um "Molek" de apenas 7 anos que vem impressionando muita gente grande por aí, tanto fãs e músicos. Dizem que as crianças estão se desenvolvendo cada vez mais rápido, e de fato é verdade como podemos ver no vídeo abaixo em que ele toca o clássico do Judas Priest "Painkiler" na íntegra. Difícil é ser chatão e achar algum erro. Esse aí será um monstro na bateria!


Em seu canal no YouTube tem mais atuações dele com as baquetas, como por exemplo essa que com apenas seis anos tocando "Master of Puppets" do Metallica.








Personagens de Star Wars redesenhados no estilo "kawaii"

A palavra Kawaii é um termo muito usado no Japão - principalmente pelos Otakus - para descrever o que é "fofo", "adorável", "amável". Designando objetos, acessórios, roupas, animais e pessoas, incluindo crianças e mulheres atraentes, assim como personagens de ficção ou mangás. Esse termo também pode se referir a pessoas que tem um comportamento infantilizado ou pessoas muito inocentes ou tímidas. Também pode estar associado à maneira de se vestir, com roupas e acessórios com estilo infantil ou princesa, com cores vivas ou então em tons de rosa ou pastel.

Darth Vader

Darth Maul

Stormtrooper

Princesa Léia

Han-Solo

Luke Skywalker

R2-D2 e C3PO

Mestre Mace Windu (precisei pesquisar o nome pois não lembrava)

Obi-Wan Kenobi

Mestre Yoda

Anakin Skywalker


Vi no Nerd Pride

O que passa pelos meus fones #65 - Newsted

O que passa pelos meus fones #65 - Newsted
Acho que quem é fã do Metallica não tem nada contra o carismático baixista, o ex-Suicidal Tendencies, Robert Trujillo. Mas acho que 90% desses, incluindo eu, reconhecem que sentem uma falta enorme de Jason Newsted naquele posto.

Independentemente da brigas e desavenças causadas pelo natural regime ditatorial de diversos fundadores, Jason Newsted ressurgiu das cinzas em 2012 lançando o EP simplesmente chamado "Metal". Promissor e cru, já chamava atenção por ser muito mais "puro" e sincero do que o último trabalho de sua ex-banda Metallica.

Eis que em 2013 foi lançado o debut "Heavy Metal Music", com uma banda devidamente formada, com músicas e composições devidamente polidas dentro das influencias mais latentes de Newsted. O resultado não foi outro além de um álbum excelente, feito para quebrar cabeças e só para isso. O que basta pra nós!

Abaixo mais um single do álbum chamado "...As The Crow Flies". E ah, não deixe de ler a resenha que fiz sobre o álbum, ok?

O McDonalds na realidade

O McDonalds na realidade
Fim de semana aí e sempre naquele sábado à tarde surge na mente sair com alguém pra ir comer no McDonalds. Sim, também acho bom. Mas já parou pra pensar a propaganda absurdamente enganosa que eles fazem com você? Sinceramente acho que o Burguer King só não se tornou maior porque é horrível ir naqueles restaurantes sempre minúsculos, com mesas apertadas te fazendo obrigar a ouvir as conversas alheias. Porém nada é pior do que as esfihas do Habib's.

Como disse meu amigo : "Acho que todo BK é desse tamanho porque o McDonalds comprou todos os lugares maiores". Mas por outro lado eu digo: "Comida é comida e mulher é mulher, os dois são "fotoshopados", os dois se comem. Então foda-se"



Se me dedicar, faço um mais da hora em casa!

Vi no Xpock

A magia dos livros

Mais uma adaptação do Zen Pencils desta vez homenageando o grande cosmólogo Carl Sagan. 

Sagan não só foi um cosmólogo, não só procurava as estrelas, Sagan se preocupava com um significado. Ele acreditava que para olhar o mundo criticamente era preciso estudá-lo, conhecê-lo, e o mais importante, compreendê-lo. Daí sua devoção aos livros, o que todos nós deveríamos ter. 

Não à toa guerras e regimes ditatoriais sempre colocavam como alvo primordial os livros, seja os proibindo ou queimando. Páginas e páginas eram capazes de fazer o ser humano sonhar, refletir, conhecer; e nenhum regime queria isso de seu povo dominado. O conhecimento liberta. 

Resenha Filme: Machete Kills

Machete Mata é um filme que NÃO pode ser levado a sério. Ponto. Robert Rodriguez nos ensinou isso ao longo dos anos.

Sendo assim é possível ter a melhor compreensão do filme mais bagaceira lançado nos últimos tempos. Se em Machete de 2010, Danny Trejo encarnando o espanhol protagonizou cenas épicas e sem nenhuma noção, aqui o negócio ultrapassa qualquer bom senso!

Tudo começa quando nada menos do que o presidente dos Estados Unidos, interpretado por Charlie Sheen (que interpreta ele mesmo e que é portanto uma espécie de extensão de Charlie Harper), recruta Machete (Danny Trejo) para impedir um líder do cartel mexicano que ameaça a soberania americana. Em troca Machete teria seu visto de cidadão americano aprovado e todos os seus crimes esquecidos.

Com a proposta tentadora, Machete vai para a fronteira encontrar a sua informante, Miss San Antonio (Amber Heard) que lhe fornecerá mais detalhes de como chegar a líder do cartel, Marcos Mendez (Demian Bichir). Acontece que o cover do Marcos Mion é um completo xarope (assim como ele) de dupla personalidade, de um lado reacionário pacifista e de outro um completo assassino cruel e sanguinário. Desse último lado ele tirou a brilhante ideia de instalar um dispositivo ao seu coração que é ligado ao míssil que ele quer lançar contra Washington, sendo assim, se ele morrer, bum!

Dai por diante dá-lhe mortes e mais mortes cheias de explosões absurdas, sangue, cabeças decepadas, tripas, e bundas pra todo lado; tudo com os piores efeitos especiais possíveis. E com direito a líder das prostitutas portando um belo sutiã metralhadora e um pênis atirador, a Desdemona (Sofia Vergara); e um assassino de aluguel chamado camaleão, interpretado por Cuba Gooding Jr, Lady Gaga, Antonio Banderas, entre outros.

Ao decorrer da trama, Machete descobre que o vilão da história não é aquele babaca bi-polar, e sim quem está por trás dele, alguém muito maior. Podre de rico e com poderes (!) o megalomaníaco à la 007 e Doutor Destino interpretado por Mel Gibson, Voz, em seu plano estaparfúdio, quer destruir não só destruir a "amada" América de Machete, mas como todo o mundo para dar início a uma raça humana superior.

Machete pra mim rendeu cenas memoráveis, e Machete mata não conseguiu o mesmo feito, e esse é o principal problema. Atrapalhado pelo próprio roteiro absurdo, o filme apresenta diversos personagens ofuscando a estrela principal. O papel de Machete infelizmente acaba sendo reduzido a algumas piadas (não que ele deva falar muito), e por vezes acaba faltando ritmo ao filme. Outra coisa é que praticamente não temos uma sequência de luta aqui.

Claro que todos sabem que Machete vai direto ao ponto, esse é o estilo dele, nada de mimimi. Machete mata! Mas um bom exemplo é se lembrar da luta final contra Steven Seagal no seu primeiro filme, aquilo sim foi de se lembrar. Já em Machete Mata, como disse, não acontece isso. Voz não ia se dar a esse "luxo" (e creio que o terceiro filme servirá justamente pra esse "clímax"), então a luta acaba sobrando para seu capanga Zaror (interpretado pelo lutador mexicano Mark Zaror), mas nem com ele uma luta mais intensa acaba acontecendo, é três golpes e acabou. Coadjuvante é coadjuvante.

Espero que a bagaceira maior aconteça na sequência que se ambientará no espaço. Sim, no espaço. Por essa você não esperava... Absurdos maiores nos esperam!

Até lá, não perca Machete e não perca Machete Mata. Quem gosta de dar umas boas risadas, e não é um chato moralista que não gosta de ver umas tripas na tela derramadas sem motivo aparente. O herói interpretado por Danny Trejo é mais uma vez recomendadíssimo!

Machete Kills - EUA - 2013

Direção: Robert Rodriguez
Produção: Sergei Bespalov / Aaron Kaufman / Alexander Rodnyansky / Robert Rodriguez
Roteiro: Robert Rodriguez / Kyle Ward

Elenco:

Danny Trejo (Machete Cortez)
Jessica Alba (Sartana)
Michelle Rodriguez (Ché)
Mel Gibson (Voz)
Demián Bichir (Mendez)
Charlie Sheen (O Presidente)
Amber Heard (Miss San Antonio)
Sofia Vergara (Desdemona)
Lady Gaga / Cuba Gooding Jr / Antonio Banderas (La Chaméleon)
Alexa Vega (Killjoy)
Marko Zaror (Zaror)

Ninguém lê os termos de serviço

Bom, isso todos nós fazemos. Sabendo disso, o pessoal do Tumblr (e aposto que de diversos outros sites e sotfwares) não estão nem aí pra o que colocam no texto, afinal, ninguém lê mesmo. 

Saiba que está perdendo boas piadas!


Inspirador.


Lego: Um pesadelo infinito

Recentemente estreiou no cinema o primeiro longa metragem dos bonequinhos mais simpáticos do planeta e a animação parece ser uma das mais bacanas desse ano que acabou de começar. Mas... na real, o mundo feito de Lego não seria tão legal assim né?


Chão feito de Lego, cocô feito de lego... Ouch!


O que aconteceria se tomássemos todas as decisões da nossa vida?

Esse quadrinho me lembra o grande Monthy Phyton:

- É menino ou menina?
- Oras, é muito cedo para lhe impor certos conceitos...




De duas uma, ou seu pai é um ditador cuzão ou um trollador cuzão.