Resenha Filme B: O Vingador Tóxico

Gosto de ver filmes, e gosto de ver os tipos de filmes que de tão podres nem tem gênero, em outras palavras, os conhecidos filmes B. Muitas das grandes produções são cheias de erros até estúpidos, uma verdadeira porcaria de todos os modos, e talvez isso é o que atraia pessoas como eu a perderem seu tempo assistindo essas porcarias de filmes em que a espontaneidade, seu descompromisso, e sua falta de vergonha na cara de ser escrachado e um verdadeiro lixo, acaba se tornando clássico, dado a tantas risadas que demos naquelas noites de insônia que nos fez assistir filmes como esses na TV.

De tão cultuado esse gênero atualmente, já não se é muito difícil encontrar produções assim invadindo o cinema com status de "grande produção", sem contar o fato de que grandes diretores já se aventuraram nesse nicho ou mesmo ganham projeção através dele, como Sai Raimi que dirigiu a primeira trilogia do cabeça de teia nos cinemas. Robert Rodriguez e seu "Machete", Quentin Tarantino e seu "A Prova de Morte", e George Romero e sua "Madrugada dos Mortos Vivos" são ótimos exemplos. 

Obviamente que filmes como esses tiveram tanto um roteiro como um melhor orçamento, o que também tira um pouco o status de reais filmes B aos mais puristas. Então que tal ver os "Palhaços Assassinos do Espaço Sideral"? Pelo título já dá pra ver sua importância. Mas esse filme não é o assunto e vamos mais abaixo (o que é possível), nessa resenha vou falar sobre o lixo que tenho maior orgulho de ter assistido. Muito antes de qualquer Vingador da Marvel adentrar os cinemas, em 1984 nasceu "O Vingador Tóxico".

O filme se passa na cidade de ''Tromaville'', lá o nerd Melvin Ferd (Mark Torgl), é um simpático faxineiro que trabalha em uma academia de ginastica ''Tromaville Health Club''. Como em qualquer academia, além do pessoal se exercitar, o que chama a atenção são as mulheres gostosas que lá habitam. Mas Melvin é muito atrapalhado e vive sofrendo bullying da turma de Bozo (Gary Schneider), um membro da academia que adora praticar um esporte no minimo peculiar: atropelar pessoas. Pois é meus caros, se você achava que os criadores do jogo clássico Carmaggedon tiveram uma ideia original, "O Vingador Tóxico" a teve 13 anos antes!


Como a "zueira never ends", a namorada de Bozo, Julie, resolve pregar uma peça no pobre do Melvin, o seduzindo e o fazendo vestir uma roupa de bailarina. Melvin topa, mas claro que a peça é motivo para ele ser zoado por todos na academia. Desiludido e puto da vida, Melvin sai correndo e tenta se sucidar se atirando pela janela, caindo num caminhão de lixo tóxico que estava ali na rua. Ao melhor estilo de Matt Murdock, o Demolidor, que num acidente também com lixo tóxico ficou cego, e Peter Parker com sua aranha, Melvin se transforma no super herói chamado ''Vingador Tóxico''!

Carinhosamente conhecido como Toxie, além de cuidar de bandidos da área e conhecer um grande amor (Sarah), Toxie vai ao que interessa: se vingar de Bozo e companhia, até que acaba matando uma pessoa inocente. Num dilema moral que qualquer herói passa, Toxie não aceita sua condição de ter que matar pessoas, mesmo sendo bandidas, e se refugia com sua namorada Sarah. Ao contrário do que vimos, o governo necessita do Vingador para combater o crime, e assim o governador vai atrás dele. No final das contas o Vingador se redime arrancando o estomago do governador profetizando a frase clássica: "Livre-se desse lixo tóxico!"

Comprovando tudo que falei no começo da resenha sobre sucesso de filmes B, "O Vingador Tóxico", pasmem, ganhou mais três sequências, uma série spin-off em desenho animado, uma revista em quadrinhos com onze edições, e até jogos de videogame para NES e Mega Drive! Pra você não falar que estou dizendo mentira, veja abaixo:



Se você se interessou pelo filme e quer assistir, não precisa procurar muito não. No Você Tubo tem o filme completo legendado, mas como sou bacana e entendo como é evitar a fadiga, já linko aqui pra vocês.


The Toxic Avenger
EUA • 1984 

Direção: Lloyd Kaufman / Michael Herz
Roteiro: Lloyd Kaufman / Joe Ritter
Elenco: 

Mitch Cohen - The Toxic Avenger
Mark Torgl - Melvin Ferd
Kenneth Kessler - The Toxic Avenger (voz)
Andree Maranda - Sarah
Pat Ryan Jr. - Prefeito Pedro Belgoody

Os melhores álbuns de 2013

Às portas do ano terminar, nos últimos suspiros, mais uma vez faço o que faço todos os anos dominar o mundo, a minha lista do que de melhor escutei no ano de 2013.

Acho que todos estão mais que carecas de escutarem isso, mas pra quem não sabe lista É realmente algo muito pessoal. "Gosto é que nem cu, cada um tem o seu", vovó dizia isso desde criança e essa frase é a pura verdade. Posso gostar do mesmo gênero musical que você, mas nunca gostarei das mesmas bandas, nem terei escutado o mesmo que você e provavelmente nem terei elegido o mesmo "álbum do ano" que você. Baseando-se em tudo isso, seja saudável, veja a lista e seja curioso: busque o que ainda não escutou; assim quem sabe você concorda com o cara que fez a lista. Isso te faz melhor e faz bem pro dentes. =)

Nesse ano farei um pouco diferente. Elegerei cinco álbuns mas nada de colocá-los em ordem de preferência, pois já é dificuldade suficiente eleger apenas cinco. Assim acho mais justo, já que dependendo do estado de espírito do momento, posso gostar mais de um que do outro e vice-versa.

The Winery Dogs - The Winery Dogs


Mike Portnoy depois de sair do seu filho Dream Theater, virou um grande arroz de festa. Depois da ressaca do DT ele embarcou na ideia de montar super grupos. Primeiro foi o Adrenaline Mob com Russell Allen (Symphony X), depois foi o Flying Colours com Steve Morse (Deep Purple), e agora em 2013 ele montou o excelente The Winery Dogs com Richie Kotzen (ex-Poison) e Billy Sheehan (Mr.Big).

Três músicos extremamente talentosos só poderiam dar nisso, um hard rock extremamente gostoso de uma banda que já nasceu pronta.



Não é novidade que é moda entre as bandas norte-americanas misturar o hardcore com o metal, e o Killswitch Engage é uma delas. A banda sempre foi boa, mas nesse ano surpreendeu até quem esperava muito dela. "Disarm The Decent" é uma tijolada na orelha.



A volta trifunfal de Jason Newsted não poderia ter sido melhor. O título Heavy Metal Music exprime bem o que o álbum é: sujo, pesado, cru. É como o heavy metal deve ser.



Calando a boca daqueles que ainda teimam em dizer que o Sepultura está morto. "Kairos" já foi bom, mas "The Mediator..." é ainda melhor, o que se deve muito ao vigor do baterista Eloy Casagrande que resgatou toda fúria que o Sepultura tinha e estava escondida por aí a mais de uma década.



O retorno triunfal de quem nunca perderá a majestade. "13" é o que o Black Sabbath é.

Vale a pena dar uma conferida:

Motorhead - Aftershock
Alter Bridge - Fortress
Apocalyptica - Wagner Reloaded

Melhor ao vivo: Black Sabbath - Live... Gathered In The Masses


Todos sabem como o Black Sabbath é, todos sabem das limitações que a idade impõe, todos sabem o sucesso "Iron Man" de cor. Mas tudo isso é imortal, tão quanto a banda ainda é relevante no cenário atual. 

Decepção do ano: Megadeth - Super Collider


Creio que qualquer álbum do Megadeth e de qualquer banda que tenha a banca que ela tem, e tão quanto é impassível de fazer uma musica que seja decepcionante a maioria, sua discografia inteira mesmo em seus piores momentos, é melhor que muitas bandas por aí. Ok, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. "Super Collider" não só decepcionou pela sua total falta de inspiração, mas principalmente pela banda nos últimos anos ter conseguido emplacar uma série tão grande de álbuns realmente consistentes.

 "The System Has Failed", "United Abominations", "Endgame" e "Thirteen" não me deixam mentir. Todos esperavam muito mais que a mesma "fritação" de Chris Broderick e o piloto automático de Dave Mustaine.

Descoberta do ano: Texas Hippie Coalition


Nunca antes na história desse país me tornei fã de uma banda tão rapidamente, baixar sua discografia foi um pulo, ir em seu show memorável no Manifesto Bar foi outro, e "Peacemaker" de tão bom é uma das melhores coisas que ouvi nessa década. 

O que passa pelos meus fones #62 - Eminem

O que passa pelos meus fones #62 - Eminem
Como vocês já devem ter percebido não sou ligado em rap, na verdade nem um pouco procuro escutar os lançamentos e nem tenho alguma música do gênero em meu celular. Mas apesar de curtirmos um gênero específico, é fato de que vários gêneros ficam enraizados nas lembranças de quem curte realmente música. Afinal, música é música, e música boa é música boa.

Letras como "Cleanin Out My Closet" e "Stan", e clipes realmente divertidos como "Real Slim Shady" e "Without Me" fizeram o Eminem fazer parte da minha adolescência, e ele ainda é um dos caras que me fazem sair do mundo do rock por causa do som legal que ele faz.

Com cenas do "Call of Duty Ghosts" ao fundo, "Survival" é o primeiro single do novo álbum "MMLP 2" lançado nesse ano.

Lutas de MMA realmente relevantes

Lutas de MMA realmente relevantes
Cá entre nós, foi um tanto suspeito o nocaute de Anderson Silva pra Chris Weidmann na luta que decidia o cinturão. Então como num bom filme de Hollywood que tem sua sequência ou o Call of Duty de todos os anos, hoje terá a revanche dos dois decidindo o mesmo cinturão. É... todo mundo precisa ganhar mais uns trocados! Então, se essa luta pouco interessa e tá cheia de marmelada, nesse post darei dois exemplos de lutas de MMA que valem realmente seu ingresso.

Que tal lutas entre caras comuns fantasiados com seus super-heróis preferidos? Sem habilidade alguma, sem físico algum...


E que tal uma luta medieval, com direito a armadura e espadas? Realizando o sonho de muitos fãs de RPG e nerds em geral, comunico que isso existe na Polônia. A tal liga é chamada de "PLWR” (Polska Liga Walk Rycerskich), e se você quiser saber mais sobre, ela tem canal no YouTube e tudo.

A fantástica arte de Stanley Lau em 40 imagens

Stanley Lau é um ilustrador, artista e designer natural de Hong Kong que trabalhou em empresas como a Capcom, Square Enix e DC Comics; só isso. Aí ele resolveu mostrar um pouquinho do seu trabalho nas sua página no DevianTart e eu fuçando peguei as melhores e mais conhecidas.

São imagens em alta resolução. Perfeitas pra decorar qualquer quarto, não é mesmo?






Mulher Gato

Jean Grey/Fênix

Arlequina

Jéssica Rabbit

Emma Frost

Hera Venenosa

Ms. Marvel

Chun Li

Alice No País Das Maravilhas

Hulk

Batman

Bat-Girl

Mulher-Gato

Bleach

Capitão América

Mulher-Gato

Asa Noturna

Psylocke

Chun Li

Hulk

Elektra

Arqueiro Verde

Arlequina

Hera Venenosa

Morrigan

Evil Ryu e Oni Akuma

Robin Hood

Solid Snake

Mulher Maravilha